Dromedário – de Igor Adorno
26 de setembro de 2019
Alguma Poesia Alguma – Geraldo Figueiredo
26 de setembro de 2019

Sobre o Breve Voo da Borboleta e Suas Esquinas

de Vânia Melo

R$40,00

26 em estoque

Categoria:
Compartilhe com Seus amigos
Descrição

Autor: Vânia Melo

Quem de nós já viu uma lagarta se transmutar ? Virar-se em asas-borboleta? Eu nunca vi, mas imagino que os seus primeiros gestos sejam brutos, como quem quer se despir da existência lagarta, ainda sem saber-se borboleta. Vejo a borboleta nascendo do corpo-lagarta, ou seria a borboleta que devora, com sua leveza, o corpo nodoso feito do que se arrasta na barriga grossa da lagarta « grávida lagarta/prenhe de poesia »? Não sei. Do que sei, temos diante de nós esta cena de um vir-a-ser potente, posto que esta nossa lagarta declara ter asas negras de borboleta, e, mesmo antes de voar, se anuncia : « ela abriu as asa, abraçou o mundo e sentiu que podia voar ». Sentimos também que este voo, por breve que seja, está sendo tecido pelas palavras das poesias.
Vânia Melo nos traz, neste seu primeiro livro solo, a coragem do vir a ser, e quem de nós se arriscaria a ser, ante todos os olhos, esta coisa que tem o corpo estreito para estas grandes asas de pássaro? Quem voaria com o risco – quase desejo – de queda : « toda noite seminua/ salto compulsivo/ contra o asfalto da rua ». Nos chama atenção a postura ativa de quem se atira contra o chão, transformando a palavra em precipício.

Prof.a Dr.a Lívia Natália
Docente na Universidade Federal da Bahia

Compartilhe com Seus amigos
Informação adicional
Peso 10 g